Blog do Tunico

Continuo de olho também neste blog rumeno

Arquivo 10 – 30/7/2005

Posted by tunico em março 12, 2007

Esse diálogo é demais!

O aval – tragicomédia

Deputado Indeterminado:
Com a palavra o nobre senador Insosso.
Senador Insosso:
Muito obrigado, presidente.
Burburinho. Campainha.
Senador Insosso:
Senhor presidente, assim não é possível, não tem cabimento.
Campainha (três vezes).
Senador Insosso, para o depoente:
O senhor é ou já foi eleitor do Partido dos Sonhadores?
Depoente:
Sim, senhor senador.
Senador Insosso:
É ou já foi?
Depoente:
Eu já fui, senhor senador.
Senador Insosso:
Muito bem.
O senhor votou quantas vezes nos candidatos do Partido dos Sonhadores?
Depoente:
Não posso lhe informar, senhor senador.
Sinto muito, infelizmente eu não sei.
Senador Insosso, visivelmente irritado:
O senhor tem consciência de que ao contrário dos outros depoentes que passaram por esta comichão o senhor não tem advogado e não está protegido por um habeas-corpus e portanto deve responder a todas as perguntas e está constrangido a dizer a verdade sob pena de sair deste recinto para uma prisão brasileira?
Burburinho. Campainha.
Depoente:
Sim senhor senador, tenho consciência disso, eu acho.
Senador Insosso:
Então quantas vezes Vossa Senhoria votou nos candidatos do Partido dos Sonhadores?
Depoente:
Foram várias vezes, senhor senador. Inúmeras vezes.
Senador Insosso:
Inúmeras vezes?
Depoente:
Sim senhor, inúmeras.
Burburinho.
Deputado Indeterminado:
Com a palavra o nobre deputado Ambas Aspartes.
Deputado Ambas:
Obrigado, Excelência.
Senhor José, descreva suas relações com o Partido dos Sonhadores.
Depoente:
Nunca fui filiado ao Partido dos Sonhadores.
Deputado Ambas:
Mas foi militante.
Depoente:
Participei de reuniões com militantes. Fui às ruas durante as eleições. Distribui panfletos nos cruzamentos. Sempre acreditei no sonho.
Silêncio.
Deputado Ambas, peremptoriamente:
Senhor José, o senhor já esteve em assentamentos do Movimento dos Sem-Terra?
Depoente:
Sim senhor, certa vez estive, com colegas…
Senadora Indignada:
Pela ordem, senhor presidente, pela ordem!!!
Deputado Indeterminado:
Com a palavra, pela ordem, a digníssima senadora Indignada.
Senadora Indignada:
Até quando seremos obrigados a conviver com a desfaçatez desta camarilha palaciana…

Repórter com microfone em alto-falante encobrindo a voz da senadora Indignada:
Diretamente do Congresso Nacional estamos acompanhando na íntegra mais um depoimento da Comichão Parlamentável Incerta. Pelo número de parlamentáveis inscritos o depoimento do cidadão José Inocente Útil ainda deve durar mais cerca de doze horas. Quem está falando agora é a senadora Indignada do Partido do Sonho Impossível. Ela acaba de interromper o deputado Ambas Aspartes, do Partido do Bom Patrão e como todos sabem (tentando ser engraçada) a senadora costuma fazer longos discursos…
Âncora, também no alto-falante, tentando parecer interessado:
Mas, Poliana, quer dizer que realmente a senadora Indignada interrompeu o deputado Ambas Aspartes?
Repórter, em meio a um grande burburinho:
Sim, mas agora o que está acontecendo é que os outros deputados e senadores do Partido do Bom Patrão fizeram uma manifestação de repúdio ao deputado Sujeito Indeterminado, que é do Partido Social Burocrata e preside esta CPI. Enquanto isso, (totalmente perdida) os integrantes do Partido dos Sonhadores que ainda permanecem ameaçaram se retirar daqui desta sala do plenário onde se reúne a Comichão Parlamentável Incerta. Mas mesmo assim a senadora Indignada continua fazendo o seu longo discurso, depois de ter interrompido o depoente enquanto o deputado Ambas Aspartes fazia perguntas, vamos ouvir a senadora…

Senadora Indignada:
Portanto é por isso que eu dediquei os melhores anos da minha vida a este sonho e não serão vocês que conseguirão me convencer do contrário porque eu sou o sal desta terra e se o sal não salga então ou é porque não pode deter a corrupção ou é porque a corrupção não quer recebê-lo e precisa ser detida…
Burburinho. Campainha.
Deputado Indeterminado:
Com a palavra o deputado Deletério.Deputado Deletério:
Senhor José Inútil… Inocente Inútil…
Deputado Indeterminado:
É Inocente Útil, deputado.
Deputado Deletério, com certa insegurança:
Senhor José Inocente, diga o seu nome completo, por favor.
Depoente:
O senhor já disse o meu nome, deputado.
Deputado Deletério:
Mas realmente é um desrespeito mesmo, senhor Inútil. O senhor não pensa na honra de sua família e de sua cidade? Vou lhe dizer, para que o senhor saiba, senhor Inútil, que eu na minha cidade sou muito conhecido e respeitado. Em minha empresa, senhor Inútil, eu tenho não sei quantos mil empregados. Não sei quantos mil empregados! O senhor está me ouvindo? E todos eles, senhor Inútil, todos os meus não sei quantos mil empregados votaram em mim e neste exato momento estão todos acompanhando a minha atuação aqui nesta Comichão Parlamentável Incerta, que por sinal tem sido tão bem conduzida pelo meu conterrâneo e companheiro de partido, meu grande amigo, o nobre deputado Sujeito, que tanto fez por mim e pelos meus não sei quantos mil empregados e por todo o meu eleitorado. Portanto eu lhe pergunto, senhor Inútil, em nome da Nação, o senhor já fumou maconha?

Depoente:
Com todo o respeito que lhe devo, que é muito, senhor deputado Deletério, eu me reservo o direito de permanecer calado sobre esse assunto, nobre senhor deputado.

Burburinho. Campainha. Burburinho.

Deputado Deletério:
Mas o senhor não tem dinheiro para pagar advogados, senhor Inútil, o senhor não tem habeas-corpus, o senhor é obrigado a responder à minha pergunta.

Deputada Meritíssima:
Pela ordem, senhor presidente. O cidadão tem o direito de permanecer calado.

Deputado Deletério:
Senhor José Inocente, o senhor alguma vez já esteve pessoalmente com Vossa Excelência o Excelentíssimo Presidente Nulo?

Murmúrio de espanto.

Depoente:
Nunca estive, senhor deputado.

Deputado Deletério:
O senhor afirma que nunca o viu pessoalmente?

Depoente:
Quer dizer, eu o vi pessoalmente, mas estava longe, no meio da multidão…

Deputado Deletério:
O senhor afirma que o presidente Nulo estava no meio da multidão?

Depoente:
Não senhor, eu estava no meio da multidão, ele estava sobre um palanque e ainda não era presidente.

Deputado Deletério, depois de observar o depoente por alguns instantes:
Já esteve alguma vez pessoalmente na sede do Partido dos Sonhadores?

Depoente:
Não posso falar, senhor deputado.

Deputado Deletério:
Por que não? Não se lembra?

Depoente:
Não porque não me lembre, senhor deputado, mas porque isso tudo é demais para a minha cabeça.

José Ninguém,
Julho de 2005.

Uma resposta to “Arquivo 10 – 30/7/2005”

  1. Tunico said

    Olha ja saiu o i12 o novo processador da intel. Ele tem 9 nucleos reais.
    é muito bom olha só a foto dele olha ai http://img708.imageshack.us/img708/7159/corei7o.jpg

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: